Artigos

Capacetes de Segurança – Proteção para a cabeça

Proteger a cabeça é um instinto natural do homem, também não é para menos nossa cabeça é como um computador pessoal que apesar de já contar com uma proteção natural adequado pela natureza a caixa craniana tem que estar sempre sob proteção.
Quando tratamos de situações de trabalho onde envolvem perigos de acidentes esta proteção é ainda mais necessária. É só passarmos por canteiros de obras pátios e fabricasou mesmo nas ruas da cidade em qualquer desses locais onde haja pessoas trabalhando onde haja situações de risco percebemos com o uso de capacetes é bastante difundido, isso se deve a crença que o simples uso do capacete de segurança resolve tudo, na verdade ele é extremamente importante mas apenas nas situações em que não foi possível diminuir ou eliminar o risco de acidente na sua origem ou no percurso em relação ao trabalhador. Mas ainda assim o uso constante do capacete nem sempre representa o uso correto do equipamento pois ele pode não estar de acordo com os requisitos legais e os componentes fora dos parâmetros e medidas ou o material com qual foi fabricado possa não ser indicado.

O capacete é o modelo mais comum de equipamento de proteção individual usado pelos trabalhadores no entanto como qualquer outro epi ele deve obedecer a requisitos para que possa passar dos testes realizados e obter o CA, certificado de aprovação pelo ministério do trabalho de modo a ser comercializado legalmente oferecendo efetivamente a segurança para qual foi projetado.
Considera-se equipamento de proteção individual EPI todo dispositivo de uso individual de fabricação nacional ou estrangeira destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador entre os epi destinado para proteção para a cabeça estão os capacetes de segurança para proteção do crânio nos trabalhos sujeitos a agentes meteorológicos ou seja trabalhos a céu aberto e a impactos provenientes de quedas a projeção de objetos e a queimaduras ou choques elétricos.

Qualquer capacete de segurança consiste em um casco e uma suspensão. O casco tem como função principal absorver e distribuir a força de impacto e por isso deve ter construção sólida e a suspensão constituída por coroa e carneira deve evitar que o casco encoste na cabeça do usuário. Os materiais mais usados são plástico rígido, resinas prensadas com tecido Celeron.Além dos modelos mais comuns e conhecidos a capacete específicos para outras atividades sujeitas a risco são eles:

Capacete Classe A – resiste a 2220 volts

Capacete Classe B – resiste a até 20.000 volts.

Os capacete do tipo classe C não foram feitos para serem usados perto de fios elétricos ou substancias corrosivas. O casco tem um formato oval e côncavo pode ser aba total ou apenas frontal o que é apropriado quando o capacete pode bater de encontro ao obstáculo, peso máximo 425 gramas e a distância entre casco e coroa não pode ser menor que 6 milímetros e nem maior que 19 milímetros.

Conclusão:

A seleção do capacete é uma grande responsabilidade para que possa oferecer a proteção desejada a escolha deve ser criteriosa, todos os componentes deverão ter inspeção visual diariamente para verificar se há sinais de entalhes, trincas, penetração ou outra danificação qualquer resultante de impacto. Também é importante inspecionar a suspensão e a coroa principalmente a distancia entre o casco e a suspensão do capacete. Os capacetes são de uso mais disseminado isso porque protegem também contra os riscos imprevistos de objetos, ferramentas e materiais diverso que podem atingir a cabeça do trabalhador, o mesmo não ocorre quando se faz necessário o uso de óculos, mascaras ou outros equipamentos de proteção para a cabeça e a face. Acontece que ao contrário dos capacetes de segurança outros tipos de equipamentos de proteção são negligenciados pois os danos causados por sua ausência ou uso indevido não aparecem de imediato, pelo menos não da mesma forma de um martelo que cai sobre nossa cabeça

Nossa Cabeça é a sede da inteligência, afetividade e de boa parte de nossas sensações se pensarmos bem nelas estão localizadas as fontes de maior parte dos sentidos Audição, Visão, olfato e paladar porém nada adianta ter um epi em mão se o trabalhador não estiver treinado para bem usá-lo, a condução do programa de prevenção é responsabilidade da empresa, mas se o empregado tiver recebido o epi e todo treinamento adequado será de sua responsabilidade cuidar da manutenção periódica do mesmo. Inclusive comunicar o responsável quando o epi não estiver mais condições de uso.

Portanto obedeça as regras de segurança do trabalho, veja bem ouça com clareza e fale sempre que for preciso para resguardar sua segurança.

Limpeza do Capacete

O método comum de limpeza e esterilização dos cascos consiste em mergulha-los em água quente com um bom detergente por pelo menos 1 minuto, os cascos deverão ser esfregados enxaguados e inspecionados a seguir.

Sobre superepi

Sem informação provida pelo autor da matéria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>